Lisbon MSM Cohort

 

 

A Lisbon MSM Cohort é um estudo observacional prospetivo iniciado em abril de 2011 em parceira com o CheckpointLX/GAT e o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto com os seguintes objetivos:

 

1) Na perspetiva da quantificação da carga da infeção e da prevenção:

  • Conhecer a dinâmica da infeção VIH nos HSH em Portugal através da quantificação da sua incidência;
  • Monitorizar comportamentos de prevenção primária e secundária, nomeadamente a utilização de preservativo, a frequência e os motivos do recurso ao teste e a utilização de profilaxia pós-exposição;
  • Identificar pontos críticos para intervenções preventivas.

 

2) Na perspetiva da prestação de cuidados de saúde:

  • Identificar estratégias para melhorar continuamente o serviço de testes prestado;
  • Explorar estratégias para garantir a ligação atempada aos cuidados de saúde.

 

A coorte é constituída por uma amostra consecutiva de clientes do CheckpointLX, um serviço anónimo/confidencial e gratuito para rastreio rápido do VIH dirigido a HSH e realizado por técnicos HSH. São elegíveis para participar no estudo prospetivo os homens que têm um teste não reativo, com idade igual ou superior a 18 anos, que reportam já ter tido sexo com outros homens. São agendadas visitas de seguimento de acordo com a sua disponibilidade, idealmente com intervalos de seis meses. Em cada observação é administrado um questionário sobre comportamentos relacionados com a saúde e um teste rápido VIH. É oferecido aconselhamento pré e pós-teste e, em caso de resultado reativo, é assegurada a referenciação para uma consulta especializada. O estudo é observacional e é realizado no cumprimento dos princípios éticos enunciados na Declaração de Helsínquia. São considerados participantes apenas os HSH que assinam um documento de consentimento informado. O protocolo do estudo obteve o parecer positivo da Comissão de Ética do Hospital de S. João, no Porto.

 

A nível nacional, o seguimento desta coorte de HSH VIH-negativos constitui uma ferramenta valiosa para a monitorização dinâmica da infeção VIH num cenário onde a informação prospetiva existente tem sido muito limitada. No contexto internacional permite ainda uma abordagem analítica mais aprofundada das tendências temporais a nível populacional e da identificação das mudanças nos fatores de risco a nível individual que modelam a epidemia nos HSH.