Recém-nascidos Muito Pré-Termo

Nas últimas décadas os avanços na vigilância pré-natal e nos cuidados intensivos neonatais resultaram na diminuição da morbilidade e mortalidade, com repercussão mais evidente no grupo dos recém-nascidos de prematuridade extrema. Anualmente, os recém-nascidos com menos de 32 semanas de idade gestacional correspondem a 1% do total de nascimentos em Portugal. Estes recém-nascidos requerem cuidados especiais que devem ser criteriosamente planeados e executados no sentido de manter a sua estabilidade geral.

 

Desta forma, a coorte de recém-nascidos muito pré-termo surge da necessidade de se obter informações atualizadas e comparáveis de gravidezes que resultam em parto muito pré-termo, nomeadamente no que respeita às práticas clínicas, aos resultados de saúde a curto e a médio prazo e ainda à eficácia das novas tecnologias.

 

Entre 1 de junho de 2011 e 31 de maio de 2012, 607 recém-nascidos muito pré-termo tiveram alta hospitalar, nas Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais da região Norte e da região de Lisboa e Vale do Tejo. 540 famílias aceitaram o desafio de continuarem a ser acompanhadas, permitindo-nos compreender melhor a saúde destas crianças e conhecer diferentes aspetos do seu desenvolvimento nos primeiros anos de vida.

 

Para mais informações, clique aqui