Exposições ambientais ao longo da vida

Carla Costa

Coordenação:

Investigador Doutorado Integrado
Os estilos de vida e a exposição a contaminantes ambientais ao longo da vida são importantes fatores de risco para o desenvolvimento de muitas doenças crónicas e envelhecimento precoce.

No entanto, grande parte dos estudos desenvolvidos até à data estão essencialmente focados nos efeitos sobre a saúde de exposições a um único composto químico, sendo escassos os estudos que consideram a exposição simultânea a diferentes compostos químicos. Desta forma, torna-se necessário avançar do modelo “uma exposição, uma doença” para uma abordagem mais integrada e mais próxima do conceito de expossoma, que permita uma melhor compreensão de como os fatores genéticos, epigenéticos e ambientais interagem para impulsionar (ou prevenir) doenças ao longo da vida.

Nos próximos anos, o laboratório pretende caracterizar detalhadamente as exposições ambientais a diferentes compostos químicos, presentes no ambiente, em diferentes fases da vida, principalmente as que se caracterizam por uma maior suscetibilidade (período in utero e infância). Para além dos compostos com reconhecidos efeitos tóxicos, tais como, o fumo do tabaco, PAH, PBDE, e ftalatos, entre outros, a equipa ambiciona também abordar outras questões emergentes, como a exposição das populações a e-waste e micro/nanoplásticos.

A avaliação e interpretação dos riscos que decorrem das exposições ambientais, bem como a comunicação dos riscos relevantes, permitirão a implementação de intervenções políticas mais eficazes na saúde pública.

De facto, compreender como diferentes fatores de risco afetam a saúde humana, quantificar o impacto destes fatores na população e caracterizar e avaliar as suas possíveis interações continuam a ser desafios prioritários nas agendas de diferentes organismos internacionais.

Equipa que integra o Lab

Projetos

Notícias relacionadas