Saúde Ocupacional

A Saúde Ocupacional é uma atividade multidisciplinar que visa proteger e promover a saúde dos trabalhadores no local de trabalho.

De acordo com a legislação nacional, é uma atividade obrigatória para todas as entidades empregadoras, sejam do setor público (lei 59/2008) ou privado (lei 102/2009). Compreende entre várias áreas a Medicina e a Segurança do Trabalho.

São funções da Saúde Ocupacional assegurar um ambiente de trabalho seguro e saudável, promover a saúde dos profissionais, garantir a vigilância adequada dos trabalhadores em função dos riscos a que se encontram expostos, verificar a aptidão física e psíquica para o exercício da profissão, e reduzir o absentismo e incapacidade resultante de acidentes de trabalho ou doença profissional. 

O ISPUP criou o primeiro serviço de saúde ocupacional na Universidade do Porto. A Unidade de Saúde Ocupacional do ISPUP é constituída por profissionais extremamente diferenciados, muitos dos quais com atividade docente na Universidade do Porto e com experiência na área da investigação.

Esta experiência académica é uma mais-valia, pois garante uma melhor translação dos últimos conhecimentos científicos para a realidade das instituições e tecido empresarial.

Através do seu laboratório de saúde ocupacional, equipado com a mais recente tecnologia para a avaliação de riscos, a Unidade disponibiliza uma ampla gama de serviços laboratoriais para a indústria e a comunidade.

Mais do que uma obrigação legal, a promoção da segurança e saúde no trabalho é uma responsabilidade social da empresa para com os seus colaboradores.

Vantagens para as instituições

  • Redução do absentismo por patologia associada ao trabalho
  • Redução do número de acidentes de trabalho
  • Melhoria da gestão interna da empresa a nível de recursos humanos, equipamentos e instalações

Que serviços prestamos?

 

A qualidade do ar que respiramos interfere diretamente na nossa saúde. Conhecer o ambiente que nos rodeia é a chave para prevenir doenças profissionais do foro pulmonar.

  • Anestésicos (sevoflurano/desflurano) – (CG-MS)
  • Compostos Orgânicos Voláteis (COV’s) – (CG-MS) – Brevemente
  • Dióxido de Carbono – (Leitura direta – sensor fotoacústico)
  • Formaldeído – (UPLC)
  • Gluteraldeído – (UPLC)
  • Monóxido de Carbono – (Leitura direta – sensor fotoacústico)
  • Partículas em suspensão no ar, fracções total, inalável e respirável (tais como: cimento, farinhas, madeiras, outras sem classificação específica) – (Gravimetria)
  • Partículas em suspensão no ar, fracções PM10 e PM2,5 – (Gravimetria)

  • Parâmetros Térmicos: Temperatura do ar; Velocidade do ar, Humidade relativa do ar – (Leitura direta)
  • Iluminância (luxímetro)
  • Luminância (luminancímetro)- Brevemente
  • Radão – (Leitura direta)
  • Ruído (Exposição ocupacional) – (sonómetro/dosímetro)
  • Stress Térmico – Índice WBGT
  • Conforto Térmico – Índices PMV e PPD
  • Vibrações – Sistema Corpo Inteiro – Brevemente
  • Vibrações – Sistema Mão-Braço – Brevemente

A análise ergonómica do trabalho consiste num conjunto de técnicas que têm por objetivo identificar lacunas e fatores de risco existentes no contexto laboral e definir as adaptações necessárias que garantam condições de trabalho adequadas para o trabalhador.

É promovida uma avaliação ao contexto de trabalho real, observando a forma como diversas vertentes interferem na saúde e no conforto do trabalhador. São avaliadas as condições físicas das infraestruturas, recursos disponíveis, postura, esforço aplicado na tarefa, relações entre colaboradores, entre outros.

Sabendo antecipadamente que grande parte das doenças ocupacionais se relacionam com o risco ergonómico, a realização desta análise é imprescindível para prevenir doenças profissionais.

Brevemente

Conheça a nossa equipa


Contactos

Sara Miranda
Secretária da Unidade de Saúde Ocupacional

saude.ocupacional@ispup.up.pt